No escurinho do drive-in

Popularidade das sessões de cinema ao ar livre abriu um novo mercado para empreendedores de diferentes setores, do delivery aos pagamentos digitais 

Movidos a pandemia, os cinemas drive-in voltaram à moda. Mas a experiência não é tão nostálgica quanto parece. Para manter o distanciamento, os pedidos de pipoca são feitos por aplicativo. E a fila do banheiro também é virtual. Saudoso da tela grande, o público tem lotado os espaços de exibição em diferentes capitais, para a alegria dos empreendedores que estão explorando o novo nicho.

A agência Super8 é uma das beneficiadas. Fundada em 2016 por Oda Oliveira Júnior, a empresa é especializada em eventos e peças publicitárias para marcas. A onda dos cinemas drive-in foi vista como uma chance de recuperar parte dos ganhos perdidos com a crise sanitária. Nas sessões do Super Drive-In, organizadas pela Super8, cada ingresso custa R$ 70 e vale para um carro com até quatro pessoas. Os bilhetes são vendidas online e lidos por um totem na entrada do espaço. 

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição,
acesse a Pequenas Empresas & Grandes Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
Logo-Novo-Finalizado---Sem-fundo.png