O ano em que viramos a chave

O ano de 2020 testou a resiliência dos negócios de pequeno porte, exigindo a migração da operação para o mundo virtual. Acelerar a transformação digital se mostrou a melhor estratégia para superar os efeitos da pandemia e garantir a retomada. Em meio ao caos, a tecnologia surgiu como mola propulsora da produtividade e da competitividade. “Este é o ano em que viramos a chave”, afirma Carlos Melles, diretor presidente do Sebrae. Ele vê mudanças no comportamento de consumidores, empreendedores e da equipe do próprio Sebrae, que aposta na digitalização para consolidar uma rede de amparo capaz de preparar e adaptar micro e pequenas empresas (MPEs) para um novo ambiente. “O país depende do bom desempenho dos empreendedores. Por isso, temos de aproveitar cada lição que este ano difícil nos trouxe.” Avançar não será fácil. A jornada exigirá investimento, disciplina e treinamento de mão de obra. “Mas valerá a pena”, ressalta Melles. Com base em dados apurados pelo Sebrae, ele aponta que a média global de participação das MPEs no produto interno bruto (PIB) é de 50%. No Brasil, o índice está na casa de 27%. “Vamos destravar esses negócios e fazê-los crescer muito mais.”

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição,
acesse a Pequenas Empresas & Grandes Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
Logo-Novo-Finalizado---Sem-fundo.png