A vida e os negócios no tempo do coronavírus

Facundo Guerra

é pai de Pina, mestre e doutor em ciência política e autor do livro Empreendedorismo para Subversivos. Depois da sua demissão, criou 18 negócios

Neste momento em que escrevo, todos estamos em casa, há dez dias em quarentena, e, apesar de ainda no primeiro ato do teatro de morte que o vírus mostrou ser no mundo, as coisas começaram a se desfazer. Não existe liderança. Todos estão contra todos no plano político. No plano ético, no entanto, temos solidariedade, pelo menos nesta fase. Ainda temos o pior pela frente: temo que os efeitos secundários que o vírus deixará serão tão trágicos quanto as mortes por ele ocasionadas. De uma coisa estou certo: nada será como antes. O sobreproduto desse maldito vírus é metáfora, e seus efeitos irão mudar o mundo.

 

Se você é um pequeno empreendedor, como eu, já deve ter se dado conta de que pessoa física e pessoa jurídica se confundem. Que negócios são uma extensão de sua vida, e que sua vida, em grande parte das vezes, foi o que deu origem ao seu negócio. Quando compram um produto ou serviço seu, os clientes não compram apenas isso. Compram também você, ou sua visão de como o mundo deveria ser. Quando a nossa maneira de existir muda, mudam os negócios.

Gostou? Para ter acesso a essa reportagem completa e ao conteúdo integral da edição,
acesse a Pequenas Empresas & Grandes Negócios pelo aplicativo Globo+, que está disponível na Google Store e na iTunes Store. 

GoogleStore.png
AppStore.png
Logo-Novo-Finalizado---Sem-fundo.png